INSCRIÇÕES ABERTAS para o próximo semestre!

Informamos que as inscrições para as próximas turmas do “Curso de Mecânica de Motores” e do “Curso de Mecânica Avançada e Preparação de Motores” estão abertas.

Curso de Mecânica normal, com início em 02/02/2015, com aulas às 2as e 4as feiras, das 20:00 às 22:30 horas.

Curso de preparação, com início em 03/02/2015, aulas às 3as e 5as feiras, das 20:00 às 22:30 horas.

Cada curso tem duração de 05 meses, com 100 horas de aula. O valor da mensalidade é de R$ 350, para ambos os cursos, e a taxa de matrícula custa R$ 120.

Veja a seguir um breve resumo sobre o conteúdo de cada curso:

Curso de Mecânica de Motores Tecnomec

Pode ser feito por qualquer pessoa, seja amador ou profissional da área. Porém, é recomendado ter completado pelo menos o ensino médio, uma vez que o curso envolve uma série de cálculos, com nível técnico que aumenta de maneira acelerada ao longo do curso. O foco é preparar o aluno para o trabalho, e devido ao tempo limitado, a carga de informação é bem alta.

No primeiro mês de curso, abordamos os fundamentos principais para obter uma base sólida e um bom entendimento dos motores “4 tempos”, ou ciclo Otto. Estudamos desde princípios básicos, como a pressão atmosférica e a lei do gás ideal, até cálculos indispensáveis, como a cilindrada, a taxa de compressão e outros. Também abrange tópicos cruciais, como número e disposição de cilindros, tipos de cabeçote, análise dos sistemas, processos e componentes do motor, e muito mais. Aqui preparamos os alunos para a rápida evolução técnica que vem a seguir.

No segundo e terceiro mês, estudamos as principais técnicas envolvidas no ajuste e montagem de um motor. Não se trata somente de tirar e colocar peças, soltar e apertar parafusos. Além de conhecer as unidades de medida envolvidas, há diversos procedimentos e ferramentas de precisão, necessários para medir e ajustar corretamente os inúmeros componentes móveis de um motor. Muitas folgas são menores que o diâmetro de um cabelo humano! Ferramentas como micrômetros, relógio comparador, plastigauge e muitas outras permitem medir esse tipo de dimensão sem problemas ou dúvidas. Também inclui diversas ferramentas básicas como paquímetro, calibre de lâminas, torquímetro e outras, e aborda procedimentos de enquadramento de comandos de válvula em motores originais, OHV, OHC e DOHC.

Iniciamos o quarto mês com o tópico alimentação de mistura comburente. Fatores relativos entre ar e combustível (incluindo variações de  AFR, fator Lambda, e outros), características dos diferentes combustíveis, distribuição entre cilindros e outros fatores fundamentais formam a base para o estudo dos sistemas.

Em seguida o carburador, um componente antigo, mas ainda muito presente – e muito eficiente quando bem calibrado- é completamente desvendado. Os fenômenos aerodinâmicos são abordados a fundo, e cada sistema individual do carburador é demonstrado e explicado.

Então, iniciamos a compreensão dos fenômenos da combustão, e os mistérios do avanço de ignição ou ponto de ignição, assim como as curvas de avanço de ignição e seus sistemas, desde distribuidor até sistemas multibobinas. Inclui o uso da lâmpada de ponto, centelhador e outros equipamentos relacionados ao sistema de ignição.

No quinto e último mês, abordamos a quase onipresente injeção eletrônica de combustível.   Do funcionamento básico dos tipos de sistema de injeção mais comuns, passando por componentes individuais como sensores e atuadores, até os testes mais importantes. São demonstrados equipamentos fundamentais como multímetro, osciloscópio, máquina de limpeza e teste de válvulas eletroinjetoras (conhecidas popularmente como “bicos”), scanner de diagnóstico e muito mais. Não inclui injeção direta (GDI).


Para se inscrever neste curso entre em contato ou ligue para (11) 5594-0877 ou 4306-0877 (sempre em horário comercial), falar com Tiago.

Curso de Mecânica Avançada e Preparação de Motores Tecnomec

Esse curso é recomendado somente para mecânicos formados, de preferência experientes. Uma vez que o objetivo é o desenvolvimento de motores de alto desempenho, o aluno deve ter o domínio dos tópicos do “Curso de Mecânica de Motores” – não sendo obrigatório ter feito o mesmo, mas sim ter conhecimento prévio. Caso haja lacunas em algum assunto, recomendamos realizar uma reciclagem para um melhor aproveitamento do conteúdo, que tem nível técnico bem alto.

No primeiro mês, estudamos a questão fundamental do torque e da potência, a importância da potência do motor na aceleração e velocidade máxima do veículo, a interpretação de curvas de torque e potência e a adequação da mesma ao objetivo e situação de uso. Também passa cálculos básicos obrigatórios, como velocidade média de pistão, pressão média efetiva, taxa dinâmica e etc.

Em seguida, passamos por um assunto pouco discutido, mas muito importante: as características dos materiais e os processos de fabricação envolvidos na fabricação dos componentes de alto desempenho. Desde a composição do ferro, até os inúmeros tipos de aço, passando por materiais exóticos como titânio, Inconel, e muitos outros, além da explicação detalhada de processos e tratamentos, como cementação, nitretação, normalização, cerâmicos, DLC e muito mais, o aluno vai perceber que a palavra “forjada” explica apenas uma pequena parte da questão.

Após, o aluno aprende a projetar e calcular corretamente a geometria de um “short block”, ou parte de baixo de um motor. Aprendendo a projetar as alterações de cilindrada, comprimento de biela, curso de virabrequim, altura de compressão de pistão, abertura de squish e muitos outros ainda na prancheta, o aluno pode fazer qualquer combinação de motor sem surpresas e armadilhas, como usinagens incoerentes ou componentes incompatíveis. Inclui a medição da espessura das paredes do cilindro por ultrassom.

Ao iniciar o segundo mês, o uso da bureta graduada é aplicado em classe, medindo o volume, ou “cubicando” os diversos espaços do motor, como câmara de combustão, volume na cabeça do pistão, dutos e etc. Essa é a maneira clássica e precisa para se obter a taxa de compressão real do motor (estática).

Uma vez que todos esses procedimentos e cálculos fundamentais são realizados, os fatores dinâmicos principais do motor estão definidos, como a cilindrada final, a potência objetivo e as faixas de rpm de maior importância e limite. A partir daí, iniciamos o desenvolvimento do restante do motor.

O comando de válvulas, um componente de extrema importância no comportamento do motor, é estudado de forma muito profunda e detalhada. Iniciamos pelos parâmetros básicos como as formas de medição e durações diferentes obtidas, levante, lobe center, overlap e outros, até a diagramação com o disco graduado. Porém, além de aprender a fazer a diagramação técnica para enquadramento do comando, o aluno vai aprender a ir muito além, formando a curva completa de levante/posição angular do virabrequim, e aprendendo a calcular a velocidade do trem de válvulas em cada ponto. Com isso, pode identificar detalhes do perfil de came que mostram informações importantes para o funcionamento do conjunto, como o ponto de inflexão para determinação de folga ideal, se o limite de velocidade é razoável, a qualidade da usinagem, e muito mais. Nesse processo muitos se espantam a ver que dois comandos “iguais”, com a mesma duração, podem ter perfis de came completamente diferentes. Alguns fabricantes de comandos de válvulas se arrepiam ao saber que um preparador de motor pode extrair essas informações “secretas” do seu perfil, usando apenas um disco graduado, um relógio comparador, lápis e papel.

Finalizamos com medição de carga de molas, altura de montagem e limite de coil bind  e geometria de balancins e varetas em motores OHV.

No terceiro mês, entraremos em outro componente de extrema importância, o cabeçote. Os componentes do motor interagem entre si, portanto devem ser dimensionados em coerência, para que todos trabalhem em harmonia, e assim o motor vai produzir a melhor curva de torque e potência possível. O cabeçote, o fluxo e o volume dos dutos ideais estão intimamente ligados à cilindrada do motor, à faixa de rpm objetivo, ao uso ou não de sobrealimentação e a muitos outros. Abordamos desde os fundamentos básicos da dinâmica de fluidos, até o trabalho prático de modificação de dutos, e usinagem em multiângulos de sedes e válvulas.

O aluno também aprende a operar e executar medições na bancada de fluxo de diversos componentes, e a interpretar as curvas fluxo obtidas. Além disso, demonstramos a confecção de moldes em 3D, para melhor análise e medição da seção transversal ao longo do duto. Nessa fase o aluno aprende a aperfeiçoar todos os componentes de escoamento, incluindo sistemas de admissão e escape completos – fluxo e dimensionamento -, sistemas de lubrificação e alimentação e etc.

Em meados do quarto mês, entramos em alimentação de combustível, passando pelos principais cálculos e procedimentos para se dimensionar adequadamente a linha de combustível, seja injeção ou carburado. Além disso, também abordamos o funcionamento dos reguladores de pressão de combustível ou “dosadores”, o cálculo e teste de vazão dos bicos injetores no padrão da preparação, e o teste e obtenção das curvas de vazão por pressão de bombas de combustível. Os princípios da pressão diferencial (delta) também são explicados.

Ao chegar ao quinto mês, abordamos os cálculos e procedimentos envolvidos no dimensionamento de turbocompressores, utilizando as características de projeto do motor em questão, e os mapas de vazão fornecidos pelos fabricantes. Esse procedimento elimina qualquer dúvida ou necessidade de recorrer a “receitas” no momento de selecionar o melhor turbo para o motor, colocando a operação do turbo na faixa de rpm e potência determinada pelo preparador. Todos os fundamentos, como relação A/R, características dos rotores, trim, surge e muitos outros, são explicados detalhadamente.

Aqui, também passamos por dimensionamento e projeto de pressurização e intercooler para máxima eficiência (também watercooler e icecooler), e todos os cálculos de variação da densidade por temperatura, perdas por pressão e demais.

A seguir desvendamos a calibração dos sistemas de óxido nitroso (N2O). Ensinamos a calcular e obter os diâmetros dos giclês, para gasolina, álcool ou metanol (assim como do próprio gás), eliminando a necessidade de consultar tabelas ou chutes. Além disso, passamos pela demonstração dos testes práticos da vazão de massa do sistema, garantindo assim um acionamento seguro do sistema até obter a calibração fina, e muito mais.

O último tópico abordado é de enorme importância, transmissão e suas relações, como adequar a relação do câmbio à curva de torque e potência do motor, objetivo de velocidade final, rpm de cruzeiro e etc.

Além de tudo isso no decorrer do curso tem uma aula prática de demonstração em nosso dinamômetro próprio modelo Topdyno TD800, e cada aluno ganha um voucher de uma (01) hora de uso particular do equipamento, incluindo a consultoria do tutor dos cursos Tiago Jorge. O voucher tem validade de um (01) ano após a conclusão do curso, é a nossa maneira de estimular, apoiar e validar a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos pelo aluno ao longo do curso.


Para se inscrever neste curso entre em contato ou ligue para (11) 5594-0877 ou 4306-0877 (em horário comercial).